Qual o seu “tipo” de pisada ?

Clínica Moove Qual o seu “tipo” de pisada ?

pe

Quando vamos comprar um tênis para corrida sempre nos perguntamos qual o tênis ideal. A verdade é que cada pessoa tem uma biomecânica e um estilo de corrida específicos. Também devemos levar em conta o peso, kilometragem semanal, local de corrida e se a pisada é pronada ou supinada. Mas será que isso realmente existe?

Pronação e supinação são movimentos e não uma postura estática, ou seja,ninguém tem um pé “pronado” ou um pé “supinado”. Pronação e supinação são combinações de movimentos em várias articulações do pé e tornozelo. Você pode ter um arco plantar elevado (pé cavo) e, no contato inicial com o solo, pronar ou supinar. Durante a caminhada ou corrida, nosso pé tem que pronar no primeiro contato com o solo para se tornar mais flexível e adaptar aos formatos e contornos das superfícies de caminhada. E logo em seguida devemos supinar o pé para deixa-lo mais rígido e conseguir impulsionar com maior eficácia. Porém esse é o cenário perfeito, o que acontece na realidade pode ser bem diferente. Existem pessoas que supinam no contato inicial, o que pode sobrecarregar articulações como o joelho por não haver absorção de impacto no pé, além de danificar tendões dos músculos fibulares e levar a uma tendinopatia . Mas a alteração mais conhecida e mais comum é a hiperpronação.

A hiperpronação pode ocorrer de duas formas: temporal ou espacial. A pronação temporal significa que o pé fica pronado por um período maior do que o esperado. Ou seja, ele não ressupina e não se torna rígido o suficiente para a impulsão, o que pode gerar sobrecarga na fáscia plantar e tendões da panturrilha. A outra forma de hiperpronação, a espacial, ocorre quando o pé prona uma maior quantidade do que o esperado. Com isso ocorre um movimento de rotação interna de todo o membro inferior, gerando sobrecarga nos joelhos e quadril. Além disso, podem ocorrer ações compensatórias para evitar esse movimento como a ativação do músculo tibial posterior(responsável pela “canelite”) e elevação do primeiro dedo do pé ( leva a inflamação do osso sesamoide).

Para saber mais sobre a biomecânica de sua caminhada/corrida, orientações sobre calçados e como prevenir lesões procure um fisioterapeuta, ele é o profissional adequado para essa finalidade. Somente com uma avaliação do alinhamento do pé, do equilíbrio muscular e do tipo de caminhada/corrida podemos definir o melhor calçado, se há necessidade de palmilhas e quais exercícios preventivos são indicados. Marque sua avaliação e corra mais tranquilo.

Referências:

  • NEUMANN, Donald. Cinesiologia do aparelho musculoesquelético: Fundamentos para a reabilitação física. 1 ed. RJ: Guanabara Koogan, 2006.
  • Carnall MW, McPoil TG: Three-dimensional movement of the foot during the stance phase of walking. J Am Podiatr Med Assoc 89: 56-66. 1999
  • MACEIRA, Ernesto ; MONTEAGUDO, Manuel . Subtalar anatomy and mechanics. Foot and ankle clinicsv. 20, n. 2, p. 195-221, jun. 2015.
  • Hicks JH. The mechanics of the foot. 1:The joints. Journal of Anatomy. 1954: 88 . 345-357

 

Felipe Ribeiro Pereira
Fisioterapeuta esportivo
CREFITO: 159201-F
Clínica Moove
(31) 98729-4166
(31) 2512-9505

 

Comentários