Pilates no esporte

Clínica Moove Pilates no esporte

Pilates no esporte

O Método Pilates vem crescendo a cada dia mais no meio esportivo, vários atletas já se rederam aos benefícios desta ferramenta da fisioterapia, que visa à. melhora do condicionamento e ao mesmo tempo a prevenção e recuperação de lesões.
O método foi idealizado pelo alemão Joseph Humbertus Pilates (1880-1967) durante a Primeira Guerra Mundial, os primeiros praticantes da técnica foram quase exclusivamente dançarinos e atletas. Somente nos anos 90 ganhou popularidade no campo da reabilitação.
O pilates é um programa de treinamento físico e mental que utiliza alguns equipamentos e acessórios, que visam aumentar a força muscular, a flexibilidade, o condicionamento cardiorrespiratório, o equilíbrio, a postura propiciando uma melhor consciência corporal, respeitandoos 6 princípios básicos: respiração, power house, concentração, controle, precisão e fluidez.
Na técnica os movimentos são realizados da forma mais correta possível, harmônicos e com poucas repetições, causando um menor desgaste físico do atleta, fazendo com que este possa manter ou melhorar sua performance em sua modalidade esportiva. Os exercícios podem ser direcionados para uma modalidade específica, possibilitando também um treinamento mais funcional. A técnica pode beneficiar atletas de diversas modalidades esportivas: atletismo, balé, basquete, surfe, futebol, lutas, natação, vôlei, ciclismo e muitas outras.
A beleza do Método Pilates é que pode ser adaptado para todos. Ele é universal e único. Faça uma visita em uma de nossas unidades e venha conhecer de perto o nosso trabalho!
Texto por Maíra Oliveira
Coordenadora do Pilates Unidade Anchieta
Marque a sua aula com a Maíra (31) 3318-9505
FERNANDES, S. y CRUZ-FERREIRA, A. (2015). O efeito do método de pilates na prevenção de lesões em bailarinos. E-Balonmano.com: Revista de Ciencias del Deporte, 11 (Supl. 1), 33-34. ISSN 1885-7019
LIPPINCOTT WILLIAMS & WILKINS. (2003).The Benefits of Pilates Exercise in Orthopedic Rehabilitation. Técnicasem Ortopedia, 18 ( 1): 126-129.

Comentários